Quarta-Feira, 25 de Maio de 2022
 

72 adolescentes da Fundação CASA são aprovados para Etec e Fatec

Jovens estão internados ou cumpriram medida em 28 centros de 19 cidades; 32 foram convocados na primeira lista de matrículas 

Estado - Um grupo de 72 adolescentes que cumprem ou cumpriram medida socioeducativa de internação na Fundação CASA no Estado de São Paulo foram aprovados nos processos seletivos para as Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs). São jovens de 28 centros socioeducativos localizados em 19 cidades paulistas. 

Do total, 32 adolescentes foram chamados na primeira lista de convocação para fazer a matrícula. Dos 72 aprovados, 68 foram para as Etec e quatro para as Fatecs.  Os já classificados na primeira convocação tinham de manifestar o interesse na matrícula e entregar virtualmente a documentação exigida.  

Os outros 40 aprovados poderão ser convocados a partir da segunda chamada, prevista para começar após o dia 28 de janeiro, para as Escolas Técnicas, e 31 de janeiro, para as Faculdades de Tecnologia.  

Os jovens ingressaram em cursos técnicos como de Logística, Mecânica e Eletrotécnica, e cursos superiores na área tecnológica em Mecânica de Precisão, Radiologia e Gestão de Recursos Humanos. 

 “O curso tecnológico ou em curso superior de tecnologia permite abrir um mundo de opções e oportunidades para os adolescentes que cumprem ou cumpriram medida socioeducativa porque ajuda a formar como cidadãos e os prepara para a realidade do que o mercado de trabalho exige”, explica o superintendente Pedagógico da Fundação CASA, Carlos Alberto Robles. 

Os adolescentes aprovados cumprem ou cumpriram a medida socioeducativa nas cidades de São Paulo (12), São Bernardo do Campo (1), Santo André (6), Osasco (7), Atibaia (1), Guarujá (1), Sertãozinho (1), São Carlos (5), Araçatuba (1), Irapuru (5), Lins (12), Marília (1), São José do Rio Preto (1), Cerqueira César (6), Itapetininga (3), Iaras (2), Botucatu (2), Bauru (2) e Lorena (3). 

Classificação 

As seleções se deram a partir da análise do currículo escolar. Desde o início da pandemia da Covid-19, a seleção é a partir do histórico escolar, sem a realização de prova presencial ou online. 

A mudança do critério foi para atender ao distanciamento social, recomendado pelo Governo do Estado de São Paulo e autoridades sanitárias, visando preservar a saúde dos candidatos.