Sábado, 23 de Outubro de 2021
 

SAMAT vence desafio da estiagem e programa “Campo Acolhedor” ganha espaço em Castilho

Superando a forte estiagem com a técnica da irrigação por gotejamento, equipe técnica consegue viabilizar o plantio em 50 propriedades rurais do município

Castilho - No final de abril deste ano a Câmara aprovou um dos mais importantes programas voltados à pecuária leiteira já implantados no município de Castilho: o “Campo Acolhedor”. Com esta estratégia, a Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Turismo (SAMAT) colocou em prática uma ação que pode reduzir os impactos causados anualmente pela falta de chuva em todo o município, afetando toda a produção agrícola e também a produção leiteira que está entre as principais fontes de renda das pequenas propriedades rurais do município.

O objetivo do programa é viabilizar o plantio inicial de 5 mil m² do BRS-capiaçu - capineira de manejo simples, mas de enorme valor nutricional para o gado, em áreas rurais dos produtores que tenham interesse nesta iniciativa inovadora.

A médica veterinária Cristiane da Silva de Souza Corrêa e o Engenheiro Agrônomo Diogo Oliveira Morais, estão entre os vários profissionais da SAMAT responsáveis pelas visitas técnicas, campanhas de esclarecimento e acompanhamento do processo de instalação do plantio nas propriedades rurais que aderiram ao programa. Segundo eles, o planejamento realizado visa a implantação das capineiras em pelo menos 300 propriedades rurais castilhenses em cada ano.

“Em 2021, a quantidade de propriedades beneficiadas será um pouco menor que a média programada para cada ano, porque o início do projeto coincidiu com período de forte estiagem. Para superar esse desafio, nossa equipe se reuniu rapidamente para traçar uma nova estratégia, e optamos por iniciar o plantio nas propriedades que pudessem adotar imediatamente a irrigação por gotejamento como forma de vencer o obstáculo causado pela falta de chuva”, explica o secretário José Carlos Justi, da SAMAT. Esta rápida ação mediadora surtiu os resultados esperados, conforme relatos de Cristiane e Diogo:

“De abril para cá, o projeto já foi iniciado em 50 propriedades que atendem aos critérios da Lei aprovada pela Câmara e a produção está de acordo com as expectativas”, recapitula Diogo.

“Quando as chuvas retornarem ainda neste ano, a área de plantio do capiaçu será facilmente triplicada e em tempo recorde, já que as condições ainda mais favoráveis, tendem a proporcionar resultados muito melhores que os atuais”, explica Cristiane.

O secretário José Carlos Justi confirma as projeções de sua equipe técnica. De acordo com ele, mais de 100 famílias já foram visitadas, orientadas e aprovadas para participar da próxima etapa do programa.

Reconhecimento

Satisfeito, o prefeito Paulo Boaventura destacou a seriedade com que sua equipe técnica driblou as adversidades e manteve o cronograma do “Campo Acolhedor”:

“Primeiro é importante lembrarmos que o sucesso de um programa voltado aos homens e mulheres do campo começa pelo estudo adequado da realidade local e reais necessidades deste público, e isso demanda tempo de pesquisa, opções de ação, análise de custos, etc.. Segundo, temos em mente que o projeto foi aprovado e iniciado já no final do primeiro semestre deste ano, de modo que a média de 300 famílias contempladas anualmente naturalmente cairia pela metade ou muito mais do que isso. Mas, apesar de tudo isso, a equipe técnica da SAMAT superou o desafio da falta de chuva e viabilizou o programa com sucesso impressionante mesmo neste período de forte estiagem. Por isso, merecem o nosso respeito e aplausos pelo comprometimento com as reais necessidades de nosso povo”, afirmou Boaventura.

Passo a passo

“Depois de distribuir panfletos em pontos estratégicos e nos pontos de coleta de leite, fizemos reuniões em assentamentos e também divulgamos o programa nas mídias local e regional. O resultado esperado foi rapidamente alcançado, iniciamos os primeiros plantios e em 27 de julho, o prefeito Paulo Boaventura pode realizar o lançamento oficial do programa, já apresentando os primeiros resultados”, relembra o secretário [Leia mais acessando o link: https://www.castilho.sp.gov.br/portal/noticias/0/3/9073/prefeito-paulo-boaventura-lanca-o-programa-campo-acolhedor]

Diogo destaca que apesar da estiagem, o programa avançou rápido neste curto período de tempo

“Entre abril e setembro, visitamos centenas de propriedades rurais. Destas, cerca de 50 já tiveram o plantio iniciado por disponibilizarem a água necessária à irrigação. Mas pelo menos outras 110 famílias já tiveram seus pedidos de adesão ao programa aprovados e aguardam ansiosos apenas pelo reinício das chuvas para que o plantio comece”.

Conforme dito, o programa é anual e contínuo, portanto, os produtores rurais que ainda não conhecem suas vantagens e desejam saber mais sobre o “Campo Acolhedor” podem agendar previamente sua visita à Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Turismo (SAMAT) pelo telefone: 3741-1672/1662.

Caso não tenha agendado e esteja pela cidade durante o horário de expediente comercial, pode ir pessoalmente à SAMAT, que está localizada no antigo prédio do SENAI (ao lado do Clube da Terceira Idade).