Quarta-Feira, 2 de Dezembro de 2020
 

Novo teste de detecção da tuberculose é incorporado ao SUS

(Foto: Viva Abc)

Interferon-gama é mais uma opção para detectar a doença em pacientes que não apresentam sintomas

O teste de liberação interferon-gama será incorporado ao Sistema Único de Saúde (SUS) em até 180 dias. É o que prevê a portaria publicada no Diário Oficial da União, em 11 de novembro de 2020. Por meio dessa medida, os pacientes ganharão mais uma opção no combate à tuberculose.

Segundo a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde – Conitec, o novo método prevê o desenvolvimento da tuberculose ativa, amplia a orientação clínica para o diagnóstico e diminui o aumento no número de casos.

Atualmente, a metodologia utilizada no SUS é o tuberculínico PPD e ocorre em duas etapas: uma para aplicação do teste e outra para leitura e interpretação do resultado. Por interferon-gama, o processo será mais ágil. O paciente precisará se deslocar apenas uma vez ao laboratório.

Tuberculose

É uma doença infecciosa, de evolução crônica que afeta principalmente os pulmões. A transmissão ocorre por via respiratória, por meio de gotículas produzidas pela tosse, fala ou espirro de pessoas contaminadas. Os principais sintomas são tosse repetitiva, febre, emagrecimento e suor. A tuberculose tem cura e o tratamento tem duração mínima de seis meses.

O diagnóstico da tuberculose no SUS é feito por testes, exames de análise e radiografia de tórax. Os medicamentos usados são a rifampicina, isoniazida, rifapentina, pirazinamida e etambutol. A vacina BCG também é utilizada como forma de prevenção.