Quarta-Feira, 30 de Setembro de 2020
 

Castilho terá aplicação de “fumacê” para conter avanço da dengue

(Foto: Ilustração)

Castilho – A Prefeita Fátima Nascimento mais uma vez buscou parceria junto a SUCEN para realizar força tarefa em combate a dengue no município. Até o último dia 17 de abril o boletim da Vigilância Epidemiológica apontava 385 casos suspeitos, dos quais 296 já haviam sido confirmados. Outros 77 casos foram descartados e 12 aguardam resultados.

“É um número muito grande de infectados em apenas três meses e meio. Por isso precisamos unir forças junto à população para eliminar esses focos e combater o mosquito transmissor”, diz a Prefeita.

A aplicação do “fumacê” (inseticida ambiental) ocorrerá na semana nos dias 22, 23, e 24 (quarta, quinta e sexta-feira respectivamente), a partir das 18h. O local escolhido pela equipe técnica para aplicação do produto é na região central onde estão registrados os maiores índices de casos positivos.

Essa região forma um grande quadrilátero composto por 80 quadras. Inicia na esquina da avenida José Luciano com a Belarmino da Silva França (Garagem Eventos), seguindo pela avenida até esquina da rua Tufik Abudd (rua de trás do CTC), seguindo até a avenida Samira Zhar e da Samira Zhar até Belarmino França novamente.

Orientação

Na semana passada os agentes de saúde visitaram toda essa região para orientar os moradores como fazer a eliminação de criadouros do mosquito da dengue. Durante aplicação do fumacê será preciso que a população também atenda outras recomendações, tais como: permanecer dentro de casa, abrir as janela, portas e também box do banheiro.

Devem ainda levantar as colchas das camas, cobrir os alimentos, as frutas e bebedouro de água dos animais, além de retirar as roupas do varal mesmo que molhadas.

“Fundamental também que as pessoas não permaneçam na rua nesse momento e que os responsáveis não deixem crianças e animais seguirem o veículo da Sucen para evitar acidentes. Em caso de intoxicação o morador deve procurar o medico mais próximo”, diz comunidade da Vigilância Epidemiológica.