Sábado, 4 de Dezembro de 2021
 

Países só controlam a pandemia com política de vacinação e testagem

Mais de 60% da população brasileira já completou a imunização pela vacina contra a Covid-19. Se por um lado, a vacinação tem cumprido seu papel, por outro, com a volta integral das atividades presenciais, a política de testagem massiva, e até de forma individualizada, começou a ser esquecida. 

Essa falta de conscientização de testagem no Brasil, o que evidentemente não ocorre nos países desenvolvidos, configura-se em um problema grave para o controle da doença.

Países como Coreia do Sul. Austrália, Nova Zelândia e Singapura, reduziram as restrições, no entanto deram continuidade à uma política assertiva de testagem e vacinação.

De acordo com Carlos Eduardo Gouvêa, presidente executivo da Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial (CBDL), “é necessário mantermos o controle da dispersão da pandemia, principalmente diante do surgimento de novas variantes e até mesmo do relato de vários casos de pessoas que positivaram para o COVID, mesmo vacinadas.

Ou seja, mesmo as pessoas que estão imunizadas podem ainda se contaminar (a vacina atenua o impacto da doença) e, assim, transmitir para outras pessoas.”.

CBDL

Criada em 1991, a CBDL - Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial é a principal entidade representativa do Brasil da indústria de diagnóstico in vitro. Tem como missão orientar e apoiar seus associados, promover o intercâmbio e troca de informações, bem como aperfeiçoar os fundamentos técnicos e científicos da área de IVD. Neste sentido, tem trabalhado em conjunto com diversas entidades atuantes no setor de diagnósticos, no Brasil e no exterior.

Tem sido uma importante aliada da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, na discussão e consolidação das normas e regulamentos que hoje regulam o setor de Diagnósticos no Brasil. Por outro lado, participa ativamente em eventos como congressos e feiras, sempre em conjunto com entidades médicas.

Conta hoje com dezenas de integrantes, dentre os quais, diversas companhias nacionais e multinacionais, que representam mais de 70% do mercado brasileiro de Diagnóstico In Vitro.