Sábado, 23 de Outubro de 2021
 

Confiança do empresário cresce e registra quarta alta consecutiva

Em setembro, índice que mede as expectativas dos gestores avançou 5,4%, atingindo 113,5 pontos; resultado é influenciado pela Black Friday e pelas festas de fim de ano

 
O Índice de Confiança dos Empresários do Comércio (ICEC) cresceu pela quarta vez consecutiva e avançou 5,4%, ao passar de 107,8 pontos, em agosto, para 113,5 pontos, em setembro. Os dados são da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). O estudo aponta que a perspectiva positiva vem sendo fomentada pela melhora das expectativas em relação à pandemia e pelo horizonte de expansão das vendas no quarto trimestre, influenciadas, principalmente, por datas importantes – como a Black Friday e as festas de fim de ano.
 
Apesar da intenção de novos investimentos por parte das empresas, a pandemia, a inflação elevada, o cenário político e a possibilidade de uma crise energética são fatores que ainda preocupam. Além disso, os empresários devem ficar atentos à variação do dólar para que este não interfira negativamente nos negócios.
 
No mês de setembro, o levantamento da FecomercioSP demonstra que as demais avaliações que compõem o ICEC também cresceram. O Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC) obteve alta de 10,6%, passando de 80,2 pontos, em agosto, para 88,7. O Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC) cresceu 3,5%, de 146,6, no mês passado, para 151,7 pontos, no mês atual. E, por fim, o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC) subiu 3,9%, saindo de 96,5 para 100,3 pontos. Na base de comparação anual, os três quesitos também voltaram a subir: o primeiro avançou 90,3%; o segundo, 12,6%; e o terceiro, 31,4%.
 
A pesquisa também destaca que os empresários estão mais confiantes em relação à expansão do comércio. O IEC, que mede esta perspectiva, registrou crescimento de 5,8%, de 103,4 para 109,4 pontos. O indicador apresentou um crescimento de 44,3% em relação a setembro de 2020. Já o índice que mede as expectativas para contratação de funcionários subiu 3,2%, ao deixar os 131,6 pontos e obter 135,8. O nível de investimento das empresas cresceu 10,5%, saindo de 75,2 para 83,1 pontos. Na comparação interanual, os dois quesitos registraram crescimento: 37,3% e 57,3%, respectivamente.
 
A percepção dos gestores do comércio quanto ao estoque, analisada por meio do Índice de Estoques (IE), obteve alta de 1,2%, passando de 112,1 para 113,4 pontos. A proporção dos empresários que consideram adequada a situação do estoque subiu de 55,7% para 56,2%. Aqueles que relatam que a situação é inadequada para mais permaneceu estável (30,5%). Para concluir, a porcentagem dos empresários que consideram os estoques abaixo do desejado caiu: de 13,2%, em agosto, para 12,4%, em setembro.
 
Com a aproximação dos eventos de fim de ano, é ainda mais importante ficar atento à gestão dos estoques. A Federação orienta a realização de um planejamento baseado no giro do negócio. Pequenas empresas podem adotar, por exemplo, a estratégia de estoques reduzidos e inventários mensais para evitar perdas. 

Notas metodológicas

ICEC

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) contempla a percepção do setor em relação ao seu segmento, à sua empresa e à economia do País. São entrevistas feitas em painel fixo de empresas, com amostragem segmentada por setor (não duráveis, semiduráveis e duráveis) e por porte de empresa (até 50 empregados e mais de 50 empregados). As questões agrupadas formam o ICEC, que, por sua vez, pode ser decomposto em outros subíndices que avaliam as perspectivas futuras, a avaliação presente e as estratégias dos empresários mediante o cenário econômico. A pesquisa é referente ao município de São Paulo, contudo sua base amostral reflete o cenário da região metropolitana.

IEC

O Índice de Expansão do Comércio (IEC) é apurado todo o mês pela FecomercioSP desde junho de 2011, com dados de cerca de 600 empresários. O indicador vai de 0 a 200 pontos, representando, respectivamente, desinteresse e interesse absolutos em expansão de seus negócios. A análise dos dados identifica a perspectiva dos empresários do comércio em relação a contratações, compra de máquinas ou equipamentos e abertura de novas lojas. Apesar desta pesquisa também se referir ao município de São Paulo, sua base amostral abarca a região metropolitana.
 
IE

O Índice de Estoque (IE) é apurado todo o mês pela FecomercioSP desde junho de 2011 com dados de cerca de 600 empresários do comércio no município de São Paulo. O indicador vai de 0 a 200 pontos, representando, respectivamente, inadequação total e adequação total. Em análise interna dos números do índice, é possível identificar a percepção dos pesquisados relacionada à inadequação de estoques: acima (quando há a sensação de excesso de mercadorias) e abaixo (em casos de os empresários avaliarem falta de itens disponíveis para suprir a demanda em curto prazo). Como nos dois índices anteriores, a pesquisa se concentra no município de São Paulo, entretanto sendo a sua base amostral considera a região metropolitana.
 
Sobre a FecomercioSP

Reúne líderes empresariais, especialistas e consultores para fomentar o desenvolvimento do empreendedorismo. Em conjunto com o governo, mobiliza-se pela desburocratização e pela modernização, desenvolve soluções, elabora pesquisas e disponibiliza conteúdo prático sobre as questões que impactam a vida do empreendedor. Representa 1,8 milhão de empresários, que respondem por quase 10% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e geram em torno de 10 milhões de empregos.