Quarta-Feira, 2 de Dezembro de 2020
 

Diversidade é destaque entre as 10 iniciativas finalistas do Desafio de Inovações em Turismo Sustentável

Projeto realizado pela CTG Brasil e pela Ashoka chega à sua última etapa com finalistas das 5 regiões do país; os 3 vencedores serão conhecidos até o início de dezembro

O projeto Trilhando a Transformação: Desafio de Inovações em Turismo Sustentável, realizado pela CTG Brasil e pela Ashoka, chega agora à sua reta final. Foram definidas as 10 iniciativas finalistas, que participarão da última etapa do Desafio. Os vencedores serão divulgados até o começo de dezembro, quando acontecerá o evento de premiação dos participantes.

O Desafio vai premiar 3 inovações sociais que apresentem propostas transformadoras de desenvolvimento e gestão do turismo. Cada vencedor receberá R$ 100 mil, além de participar de um processo de mentoria e aceleração em 2021. Na primeira fase, encerrada em 31 de agosto, foram inscritas 197 iniciativas de todo o Brasil.

As 10 finalistas selecionadas refletem a diversidade presente e buscada no Desafio desde sua concepção, com projetos relacionados a comunidades rurais e urbanas, periféricas, indígenas e com importantes recortes de gênero, raciais e regionais.

As 5 regiões do país contam com representantes entre as 10 iniciativas que chegam à fase final do Trilhando a Transformação: são 3 projetos do Sudeste, 2 do Nordeste, 2 do Norte, 2 do Sul e 1 do Centro-Oeste. Além disso, 50% das propostas foram apresentadas por proponentes que se identificaram como sendo do gênero feminino, 40% masculino e 10% não-binário.

O Trilhando a Transformação vai apoiar projetos de turismo que promovam o desenvolvimento local, gerem transformação social, fortaleçam as comunidades como protagonistas e se estruturem a partir da colaboração de diversos atores. Conheça as 10 iniciativas finalistas* do Desafio e o estado em que são realizadas:

A Diaspora.Black (SP);
Acolhida na Colônia: espaço de vida e encontros! (SC);
Brazilidade – Cultura e Identidade da Favela (RJ);
Gralha Azul – Turismo e Aventura (PR);
Poranduba Amazônia - Turismo Sustentável de Base Comunitária no baixo Rio Negro (AM);
Pousada Flutuante Uacari – Um desafio pioneiro, referência mundial em Ecoturismo de Base Comunitária (AM);
Rede BATUC – Turismo Comunitário da Bahia em Movimento (BA);
Rota da Liberdade (SP);
Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima (BA);
Turismo sustentável como vetor de conservação ambiental e inclusão socioeconômica (MT).

Rafael Murta Reis, líder de empreendedorismo social da Ashoka Brasil, destaca que a definição de apenas 10 finalistas envolveu um difícil processo de análise e de acirrada seleção. “Tivemos propostas muito fortes, diversas na forma de fazer turismo, em suas regiões e públicos com os quais trabalham".

Ele destaca a presença entre as finalistas "das comunidades periféricas, além do marcante recorte racial e étnico, do turismo de base comunitária e rural. Chegamos aonde gostaríamos, destacando iniciativas e populações representativas e inovadoras e que precisam ser apoiadas e fortalecidas".

Para a diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade da CTG Brasil, Salete Hora, “a seleção dos finalistas está muito bem alinhada com o propósito do projeto e da participação da CTG Brasil, que busca contribuir positivamente com o desenvolvimento do País, com o crescimento social e a preservação do meio ambiente”.

Uma das líderes em geração de energia limpa no País, a CTG Brasil está investindo um total de R$ 2,1 milhões no projeto, por meio de recursos financeiros destinados pela Empresa ao Programa de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Setor de Energia Elétrica, promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Próximos passos

As 10 propostas finalistas participarão do evento de encerramento do Desafio, previsto para acontecer até a primeira semana de dezembro. A ocasião contará com atividades de formação, apresentação dos finalistas ao corpo de jurados e lançamento do Mapeamento de Inovações em Turismo Sustentável – além do anúncio dos 3 projetos selecionados para receber a premiação em dinheiro e também a mentoria durante o ano de 2021.

Além do prêmio em dinheiro, as três iniciativas vencedoras participarão de um processo de aceleração em 2021 e serão contempladas com atividades de mentoria e assessoria em gestão financeira para a aplicação dos recursos recebidos. Serão produzidos, ainda, conteúdos audiovisuais destinados a apresentar e divulgar as propostas dos 10 finalistas. Por fim, o projeto prevê a ativação de uma rede de empreendedores sociais e comunidades capazes de dialogar e construir soluções conjuntas para o futuro do setor.

O Mapeamento, por sua vez, sistematizará o conhecimento de especialistas e empreendedores sociais no campo do turismo, além de destacar o trabalho dos semifinalistas e finalistas do Desafio na composição da pesquisa. A intenção, ao final, é favorecer a replicabilidade e escalabilidade de soluções para todo o território brasileiro.

Sobre a CTG Brasil

A CTG Brasil trabalha para desenvolver o mundo com energia limpa em larga escala. Segunda maior geradora privada de energia do País, conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com a matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente. A empresa tem investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, com capacidade instalada total de 8,28 GW. Criada em 2013, é parte da China Three Gorges Corporation, uma das líderes globais em geração de energia limpa.

Sobre a Ashoka Brasil

A Ashoka é uma organização civil global, pioneira na promoção do empreendedorismo social. Dedica-se à consolidação de um movimento mundial em que todas as pessoas se reconheçam como agentes de transformação positiva na sociedade. Criada em 1980 e presente desde 1986 no Brasil, foi considerada a 5ª ONG de maior impacto social no mundo, segundo a publicação suíça NGO Advisor. A comunidade da Ashoka reúne mais de 3.500 empreendedores sociais no mundo todo (376 deles no Brasil), além de 300 Escolas Transformadoras (18 delas no país) e Jovens Transformadores.