Sábado, 31 de Outubro de 2020
 

Águas Castilho realiza monitoramento constante do esgoto tratado

Procedimentos atestam a eficiência do tratamento e comprovam o ganho ambiental para o município

Castilho - O esgoto tratado nas estações Bairro 17 e Laranjeiras de Castilho é analisado de forma sistemática para garantir a eficiência da remoção da carga orgânica. Atualmente, são tratados cerca de 2.800 metros cúbicos por dia.

Em cumprimento às portarias vigentes, a Águas Castilho realiza semestralmente as análises de Esgoto (Decreto Estadual 8468 - Artigo 18, Conama 357). Esse estudo serve para atestar a eficiência do tratamento do esgoto realizado nas estações da cidade. Além disso, comprovam de maneira técnica o quanto tratar esgoto com qualidade impacta diretamente na preservação do meio ambiente, já que o efluente é devolvido limpo para os córregos.

É importante ressaltar que os serviços são realizados com laboratórios acreditados junto ao INMETRO e que a concessionária possui um laboratório especializado, onde são realizados mais de 1.500 análises por ano para medir constantemente a qualidade do esgoto tratado.

Eficácia comprovada

O um dos principais indicadores para comprovar a eficiência do tratamento de uma Estação e Tratamento de Esgoto é o DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio), que corresponde à quantidade necessária de oxigênio para estabilizar a matéria orgânica presente nas lagoas de tratamento.

Este parâmetro, a Águas Castilho atende de forma exemplar uma vez que o DBO obtido por seus sistemas chega próximo dos níveis dos próprios córregos receptores, ou seja, bem acima da taxa referencial exigida. De acordo com o Decreto Estadual 8468 – Artigo 18, o valor máximo permitido é de 60 mg/l ou mínimo de redução de 80%. Nessa última análise, a empresa conseguiu uma eficiência de 89%.

Para o diretor operacional da Águas Castilho, Antonio Hercules Neto, esse resultado é muito importante. “Tratar esgoto é dar a chance para um futuro melhor, é cuidar da saúde, do meio ambiente e da cidade como um todo”, afirma.