Quarta-Feira, 12 de Agosto de 2020
 

Biólogos monitoram diversidade de peixes no Rio Paraná

(Foto:Ilustração).

Programa de Proteção de Fauna e Flora visa monitorar os possíveis impactos que a obra da construção da Ponte sobre o Rio Paraná (BR-262/SP/MS) possa ter no Meio Ambiente

Região - O Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura da Universidade Federal do Paraná (ITTI-UFPR) realiza, entre os dias 1º a seis de abril, a segunda coleta de peixes no Rio Paraná na divisa entre os estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo, dando continuidade ao Programa de Proteção da Fauna e Flora, do projeto G-Pontes. O Programa visa monitorar a fauna de peixes durante construção da Ponte sobre o Rio Paraná (BR-262/SP/MS).

A primeira coleta de peixes foi realizada no início da obra, em julho de 2012, pela equipe do ITTI-UFPR. Nesta primeira campanha, foram capturados 108 peixes, distribuídos em nove famílias e 23 espécies. As espécies mais frequentes encontradas nas amostras foram o Lambari (Bryconamericus exodon), a Traíra (Hoplias malabaricus) e a Piaba (Hemigrammus marginatus).

As coletas são realizadas duas vezes ao ano, em sete pontos amostrais, distribuídos em trechos antes e depois da ponte no Rio Paraná. Os dados obtidos durante as coletas servem para avaliar a influência da obra sobre a fauna de peixes. “O objetivo do Programa é monitorar se a obra está causando algum impacto na diversidade de peixes”, explica a bióloga da equipe, Aline Horodesky.

O G-Pontes é um projeto desenvolvido pelo ITTI-UFPR em parceria com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Este projeto realiza a gestão e supervisão ambiental da construção da Ponte sobre o Rio Paraná, entre os municípios de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, e Castilho, no Estado de São Paulo. O Programa de Proteção da Fauna e Flora é um dos 13 programas ambientais do projeto.