Sexta-Feira, 18 de Outubro de 2019
 

Ex-prefeito José Célio contesta informações sobre abandono de obra da creche

Murutinga do Sul – O atual prefeito Gilson Pimentel iniciou a construção de uma creche no seu segundo mandato, no entanto após tantos anos a obra está abandonada e gerando grandes prejuízos ao município e principalmente a população mais carente, que necessita daquele imóvel em pleno funcionamento.

Na reportagem do jornal O Foco, o repórter José Carlos Bossolan afirma que: “Obras de creche paralisada em Murutinga do Sul gera prejuízos milionários aos cofres públicos. O descaso com o dinheiro público e o descompromisso dos gestores públicos em buscar melhorias para a população, especialmente as menos favorecidas financeiramente, fica evidenciado com as obras paralisadas.

Murutinga do Sul ao longo dos últimos 10 anos é reflexo do descaso e falta de gerenciamento do dinheiro público. São ao menos 5 obras paralisadas, que vem gerando prejuízos superior a R$ 4,5 milhões de reais.

Umas das obras milionárias que está se deteriorando é a creche de educação infantil (pró-infância). O projeto foi aprovado no segundo mandato do atual prefeito Gilson Pimentel (2009) e já consumiu R$ 1.289.356,85, segundo informações obtidas pela reportagem do O Foco por meio do Portal da Transparência dos governos federal e estadual.

Com a maioria dos recursos destinados pelo FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), a creche que deveria atender crianças do município, está praticamente condenada.

Entre maio e julho de 2011 no 2º mandato de Gilson Pimentel à frente da Prefeitura de Murutinga do Sul, o FNDE destinou R$ 340.729,19 para a unidade de uso para crianças. Após a paralisação da obra em 2012, o ex-prefeito José Célio Campos, abriu processo licitatório para a conclusão das obras.

A empresa vencedora da licitação (a mesma que não concluiu o hospital) teria o prazo até maio de 2015, mas não terminou a creche e com isso, se nem o atual prefeito Gilson Pimentel (que já está a mais de 2 anos à frente de seu terceiro mandato), nem José Célio Campos (prefeito de 2013 a 2016), tiveram o compromisso com a população murutinguense e não inauguraram a obra, que tanto iria beneficiar os pais e crianças do município e com isso a população conta com apenas uma creche pública em funcionamento no município, em um prédio antigo”, diz a reportagem.

Contestação

Como a reportagem acima foi replicada no site deste Semanário, o ex-prefeito José Célio Campos enviou-nos cópias de documentos do FNDE, que contestam as informações acima.

“Na minha administração foi tudo pago quase R$ 300 mil reais. Quanto à licitação realizada, a mesma foi feita de um saldo remanescente de 100 mil reais, que tentamos complementar com recursos próprios do município, mas foi justamente durante a crise de 2015, a prefeitura atravessando falta de recursos e não consegui concluir a obra e colocar a creche em funcionamento”, afirmou.

Abaixo trechos do relatório do próprio FNDE que está no Ministério Público e na Policia Federal, segundo José Célio:

Nas páginas do relatório 561 item 7; 562 item 8 e 563 item 10, é conclusivo que foi pago indevidamente o valor de R$ 381.920,00. “Eu não preciso me defender, isso é apenas um esclarecimento porque a decisão será judicial. No meu mandato fiz o que pude, mas erros que supostamente já vinham ocorrendo nas obras não tinham como corrigir, por isso a paralisação”, concluiu o ex-prefeito José Célio Campos.