Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017
 

Rejeição ao Congresso atinge patamar recorde, revela pesquisa

(Foto: Agência Câmara)

De acordo com pesquisa Datafolha, 60% dos brasileiros consideram os atuais congressistas péssimos ou ruins

A rejeição ao trabalho exercido pelos congressistas, senadores e deputados federais, atingiu seu recorde na história do país, conforme revela Pesquisa Datafolha. O levantamento revela que 60% dos brasileiros entrevistados, entre os dias 29 e 30 de novembro, consideram ruim ou péssimo o trabalho desenvolvido pelos 513 deputados e pelos 81 senadores da atual legislatura.

Nos dois últimos levantamentos do instituto, os números também apresentavam um recorde de rejeição. Nas pesquisas realizadas em dezembro de 2016 e abril de 2017, o percentual ficou em 58% de rejeição e 7% de aprovação. No levantamento atual, a aprovação desceu a 5%, também o pior número já registrado.

De acordo com a série de pesquisas Datafolha, iniciada em 1993, a atual legislatura é, na média, a mais mal avaliada desde então. A pesquisa foi realizada quase um mês após a Câmara barrar a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB), por obstrução de Justiça e organização criminosa.

Caminhando junto com a rejeição dos parlamentares, as últimas pesquisas divulgadas também revelam que Temer é o presidente mais mal avaliado da história do país.

No último sábado, pesquisa divulgada pelo Datafolha sobre a avaliação do governo, mostrou que 62% dos entrevistados consideram o atual governo pior que o anterior. Apenas 13% avaliam Temer melhor que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), e 23% que não há diferença entre eles. Em dezembro do ano passado, 40% consideravam o governo peemedebista pior do que o petista.

O levantamento também confirma o alto índice de rejeição a Temer (71%). Nesse aspecto, houve um recuo de dois pontos percentuais em relação a setembro. Essa diferença, contudo, está dentro da margem de erro. Para 23%, o governo é regular (eram 20% na pesquisa anterior), e para 5% (mesmo índice registrado há três meses), bom ou ótimo.