Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019
 

52% dos jovens não veem diferença no nível de dificuldade de vagas formais e vagas de estágio

De acordo com especialista, muita oferta de candidatos contribui com empresas mais criteriosas

Uma pesquisa realizada pela Companhia de Estágios, consultoria especializada em programas de estágio e trainee, mostra que 52% dos universitários não veem diferença no nível de dificuldade e competitividade entre as vagas estágio e formais.

O levantamento “O perfil do candidato a vagas de estágios – 2019” também mostra que para 15% dos participantes acreditam que os programas de estágios são a melhor alternativa de ingresso no mercado de trabalho.

Mão de obra X oportunidade de aprendizado

De acordo com o diretor da Companhia de Estágios, Tiago Mavichian, essa perspectiva é um reflexo da crise econômica que assolou o Brasil nos últimos anos. “Muitas empresas contratam estagiários para diminuir custo com mão de obra, por isso pedem inúmeros requisitos que apenas um profissional pronto já possui. Desta forma, o estágio perde a finalidade dele, que é de aprendizado”, detalha.

No entanto, para Mavichian, muitas corporações apostam no programa de estágios para lapidar talentos. “Existem companhias que realmente dão a devida seriedade que a modalidade merece, sendo assim, oferecem um bom programa de estágio e plano de carreira. Mas, certamente, é uma via de mão dupla, então o candidato precisa atender alguns requisitos e, às vezes, para tê-los, é necessário buscar conhecimento para além da sala de aula da universidade”, diz o diretor da Companhia de Estágios.

Inglês não é diferencial, é necessidade

A mesma pesquisa indica uma certa preocupação por partes dos estudantes com relação ao inglês. O levantamento mostra que ter conhecimento no idioma é a habilidade mais desejada para 59% dos jovens entrevistados.

Para Mavichian esse dado mostra que os estudantes entenderam que alguns requisitos são essenciais no mercado, independente da modalidade da contratação. “O inglês se tornou primordial para qualquer vaga, porque faz parte da rotina de muitas empresas, especialmente as multinacionais.

Os estudantes estão certos em ter essa preocupação e devem buscar aprender o idioma. É uma exigência comum, mas nem todo mundo atende, então ainda se torna um ponto de destaque para o candidato, da mesma forma como é também um filtro de seleção”, salienta.

Muitos universitários em busca de estágio

Para Mavichian, um ponto que deve ser levado em consideração é a grande oferta de interessados nos programas de estágios. “É importante evidenciar antes de mais nada que os programas de estágio precisam ter a finalidade de aprendizado, mas as empresas são criteriosas porque é também um jeito de filtrar melhor os candidatos, uma vez que há grande oferta”, conta.

Se qualificar para o agora

Para o diretor da Companhia de Estágios, o universitário deve se empenhar em se qualificar para conseguir uma boa vaga de estágio, pois isso irá prepara-lo para o futuro. “O mais importante agora é que o universitário pense nas vagas de estágios. Há muito programas que oferecem plano de carreiras e incentivam a continuidade dos estudos e tudo isso colabora para deixar o estagiário cada vez mais preparado para concorrer a vagas formais depois de formado. A formação deve ser constante”, diz.

Investimento estratégico em educação

Para quem está buscando uma oportunidade no mercado, Mavichian dá algumas dicas. “É importante ver o que as empresas pedem como requisito para as vagas. A partir disso, o aluno pode buscar se qualificar de acordo com as exigências do mercado e estar pronto para uma oportunidade quando ela surgir”, conta.

Contudo, é necessário desenvolver melhor habilidades que já possui. “Além de buscar aprender algo novo, é importante também aperfeiçoar as habilidades que já possui. É bom em texto? Então pode fazer um curso de redação ou gramática, lida bem com planilhas? Um curso de Excel cairia bem, assim por diante. São esses detalhes que diferem um bom candidato”, finaliza o diretor da Companhia de Estágios.

Sobre a empresa

Fundada em 2006, a Companhia de Estágios tem atuação nacional e impacta mais de 4 milhões de estudantes. As ações da empresa já selecionaram mais de 20 mil estagiários para programas de estágios da Amazon, Twitter, Scania, Sanofi, DuPont, Goodyear, AkzoNobel, Cyrela, Amil, Microsoft, entre outras com soluções tecnológicas de inteligência artificial, jogos online e realidade virtual.