Terça-Feira, 10 de Dezembro de 2019
 

Secretaria de Saúde explica falta de vacinas no CIS e no Estado de São Paulo

Castilho – A falta de vacinas não é um problema exclusivo da Secretaria Municipal de Saúde castilhense. De acordo com a enfermeira Sandra Marques, responsável do setor de Vacinas, o desabastecimento de imunos atinge todo estado de São Paulo. “Não é de hoje que estamos vivenciando esta problemática”, diz. Segundo ela, há uma promessa do Ministro da Saúde que até o final do ano as salas de vacinas estarão com seus estoques regularizados.

“Estamos quase um ano com dias agendados para as vacinas da BCG, Febre Amarela e a Tríplice viral otimizando para não faltar essas vacinas para a população. Sabendo que elas são frascos com dez doses e com horário de vencimento, por tanto se recebemos cinco frascos, temos 50 doses e se abrir um frasco por dia com certeza o desperdício seria grande”, explica.

Quanto a vacina em falta, a Pentavalente e DTP, o problema é ainda maior, pois a mesma está em falta no Brasil todo. “Há seis meses estamos sem essa vacina. No mês passado vieram 50 doses e acabaram em dois dias” relata a enfermeira. De acordo com Sandra, nesta semana veio mais 100 doses na grade, mas como a demanda é grande elas acabam muito rápido.

O abastecimento das vacinas em Castilho funciona da seguinte forma, todo dia 30 a Secretaria de Saúde faz os pedidos para a DRS Araçatuba, enviando o estoque e solicitando reposição. A retirada desse material também é sempre programada para a terceira semana do mês.

“Porém, recebi o comunicado que este mês poderíamos retirar a grade antes e foi o que fizemos no dia 13 de novembro. Então como responsável pela sala de vacina, preconizo a população o desabastecimento é geral, recebo o quantitativo mediante o que é determinado pela regional e sigo um protocolo. A vacina é de todos como preconiza a SUS, direito de todos, portanto todos podem se vacinar em qualquer Estado ou Município.