Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019
 

Pereira Barreto está entre as cidades com as melhores gestões fiscais no Brasil, segundo Índice FIRJAN

Prefeito Joãozinho comemorou os resultados do Índice FIRJAN de Gestão Fiscal

Município aparece como o melhor colocado na região, de acordo com o índice, que avaliou 5.337 municípios pelo país

Pereira Barreto - A Administração da Prefeitura da Estância Turística de Pereira Barreto tem mais uma grande notícia para comemorar: foi divulgada na última semana uma análise completa sobre a gestão fiscal de 5.337 municípios do Brasil e Pereira Barreto foi classificado como um município com “Boa Gestão Fiscal”. Essa análise é o Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF), um estudo anual construído com base em estatísticas financeiras oficias, que são disponibilizada pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), um órgão oficial do Ministério da Economia do Brasil.

O Índice FIRJAN de Gestão Fiscal tem por objetivo contribuir para que a gestão pública seja eficiente e democrática, sendo que o IFGF examina como os tributos pagos pelas sociedade são administrados pelas prefeituras.Por isso, o IFGF é considerado uma ferramenta de controle social que visa estimular a responsabilidade administrativa, aprimorar a gestão fiscal dos municípios e aperfeiçoar as decisões dos gestores públicos na alocação de recursos.

Pereira Barreto não só obteve a classificação de “Boa Gestão Fiscal” como obteve destaque regional, sendo o município que apareceu melhor ranqueado dentre as cidades que compõem a microrregião onde está inserido, com a pontuação de 0,6659, o que lhe garantiu a classificação de “Boa Gestão Fiscal”. Pereira Barreto aparece a frente até mesmo de outros municípios que dispõe de muitos mais recursos financeiros e capacidade de investimento, como Cubatão, Jundiaí, São Caetano do Sul, São Roque, Jales, Fernandópolis, dentre outros.

Em uma análise universal do IFGF,de acordo com Agência Brasil de Notícias a conclusão é que 73,9% desses municípios estão em situação fiscal difícil ou crítica. São 3.944 cidades nesta condição, incluindo nove capitais: Florianópolis, Maceió, Porto Velho, Belém, Campo Grande, Natal, Cuiabá, Rio de Janeiro e São Luís.

A metodologia do IFGF é composto por quatro indicadores: Autonomia, Gastos com Pessoal, Liquidez e Investimentos. O IFGF tem uma leitura dos resultados bastante simples: a pontuação varia entre 0 e 1, sendo que quanto mais próximo de 1 melhor a gestão fiscal do município.

A Gestão Crítica é aquela em que o município atinge resultados inferiores a 0,4, onde estão 40,5% dos municípios do país. Já a Gestão em Dificuldade é aquele onde os resultados variam entre 0,4 e 0,6 ponto, onde estão 33,4% dos municípios brasileiros. Já a Boa Gestão, a qual pertence Pereira Barreto, são os municípios que atingiram entre 0,6 e 0,8 ponto. Aqui estão apenas 22,1% dos municípios. A última categoria é a Gestão em Excelência, onde são os municípios que obtiveram resultados superiores a 0,8 ponto, onde apenas 4% dos municípios atingiram essa nota.

Segundo o levantamento, a nota que Pereira Barreto obteve neste ano no IFGF foi a maior da série histórica, consolidada em 2013. No ano de 2013, Pereira Barreto obteve a nota 0,5214, obtendo a classificação de Gestão em Dificuldade, que se repetiu nos anos de 2015 e 2016. Em 2014, o município obteve 0,6041 ponto, o que colocou Pereira Barreto pela primeira vez na categoria de Boa Gestão, fato que viria a se repetir apenas em 2017, quando obteve a nota 0,6318. Neste ano, a evolução foi nítida, quando veio a avaliação de 0,6659, mantendo a classificação de Boa Gestão.

O Prefeito Joãozinho comentou os resultados o Índice FIRJAN de Gestão Fiscal: “quando assumimos, percebemos as dificuldades que os pequenos municípios têm para obter recursos, tendo tantas responsabilidades. Mesmo em situação de crise que o país passa, conseguimos administrar de forma eficiente, cortar custos que fazem diferença no orçamento, conseguir destinar um pouco mais de recursos, usar de outras medidas políticas para arrecadar mais e nos adaptar ao cenário da queda da receitas oriundas dos Governo Federal e Estadual”, salientou o Prefeito Joãozinho.