Sexta-Feira, 15 de Novembro de 2019
 

Justiça aceita denúncia do MPSP contra seis investigados na Operação Apaniguados

(Foto> Gran Cursos Online)

Duas pessoas tiveram prisão preventiva decretada

A Justiça recebeu a denúncia oferecida pelo Ministério Público de São Paulo por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no âmbito da Operação Apaniguados. Foi decretada a prisão preventiva de dois dos denunciados, sendo uma das prisões convertida em prisão domiciliar. Ao todo, foram denunciadas seis pessoas pela prática de crimes de organização criminosa, fraude à licitação, falsidade ideológica e corrupção.

Além disso, a Justiça autorizou o desmembramento da investigação e o levantamento do sigilo dos autos. Foram denunciadas 6 pessoas, pela prática de crimes de organização criminosa, fraude à licitação, falsidade ideológica e corrupção.

Segundo o apurado após mais de quatro meses de investigação, o grupo criminoso alvo da operação era especializado em fraudar concursos públicos, especialmente de consórcios públicos.

Ainda de acordo com a investigação, havia a participação direta de agentes públicos no esquema criminoso, responsáveis pela indicação dos candidatos que foram favorecidos nos concursos fraudados.

Um novo cartão de resposta das provas era produzido para os favorecidos e pessoas das empresas de concursos os preenchiam conforme as necessidades de pontuação. Apurou-se também que o grupo pagava propina a agente público envolvido nos crimes.

Mais de oito mil candidatos foram prejudicados em apenas um dos consórcios públicos envolvidos nas fraudes.

Quando a operação foi deflagrada, em 7 de outubro, foram cumpridos cinco mandados de prisão temporária e 13 mandados de busca e apreensão em Campinas, Jaguariúna, Cosmópolis, Santo Antônio de Posse, Cordeirópolis, Nova Odessa, Holambra, Macatuba e Votuporanga.